Conteúdo E-commerce: 10 Dicas para Impulsionar Vendas

Conteúdo Ecommerce Wisely

Fizemos uma live sobre: Como Conteúdo pode Impulsionar Vendas de E-commerce e resolvemos trazer esse tema aqui, para explorar mais e deixar dicas para todas as operações, iniciantes e consolidadas.

Quando pensamos em conteúdo para e-commerce é muito comum vir à mente posts para campanhas que levem um potencial cliente para sua loja virtual – e com sorte, sucesso ou uma estratégia bem elaborada, que converta à venda.

Isso é conteúdo sim, porém, apenas uma parte do que chamamos de marketing de conteúdo para e-commerce. Se você parar para pensar, conteúdo é tudo.

A partir do momento que você tem uma mensagem a ser transmitida, isso já é conteúdo. O conteúdo é o texto, mas também é a imagem. É a informação transmitida de um emissor para um receptor e isso pode acontecer de várias formas.

Para quem está iniciando, normalmente, é feita uma pesquisa de mercado dos concorrentes para entender como que o público está reagindo aos esforços de comunicação desses players e, em caso de sucesso, a ideia é tomar como referência para criar o seu próprio conteúdo.

Após tomar algumas decisões que fazem parte da implementação inicial de um e-commerce, como a organização geral da parte interna, área administrativa e escolha da plataforma, é necessário dedicar um tempo para desenvolver o conteúdo que será disponibilizado neste site. Como você vai informar ao seu cliente tudo o que você quer divulgar?

Já é conteúdo as fotos que você escolhe para montar sua loja virtual, a descrição das mesmas, vídeos apresentando cada produto, a forma como sua loja conduz o cliente até o carrinho, ou seja, toda a comunicação desde o momento em que o cliente acessa a sua loja até aquele e-mail de pós venda, para saber o quão satisfeito esse cliente está.

A mensagem é transmitida de acordo com os valores e o posicionamento da marca para com o perfil da buyer persona, ou seja, da pessoa com potencial para se tornar um cliente. 

Com esses primeiros passos bem definidos, você já tem uma ‘personalidade’ da sua marca e da sua loja, e é a partir daí  que se começa a parte do planejamento do tal marketing de conteúdo.

Conteúdo Ecommerce

Marketing de conteúdo

Para produzir conteúdo para e-commerce, o primeiro passo é entender que cada mensagem tem um objetivo e esse objetivo pode ser mais de um, por exemplo: Aumentar taxas de conversão; atrair tráfego qualificado; ganhar seguidores e fãs da marca etc.

Depois do objetivo ou objetivos escolhidos, o conteúdo é elaborado e a ideia é ser inovador e criativo, não se baseando apenas em textos de vendas, mas sim de solução do ‘problema’ do seu cliente potencial.

Para trazer esse material aqui no Blog da Wisely, pesquisamos o que seriam os passos essenciais para um bom planejamento de conteúdo para o seu e-commerce e chegamos em um consenso de 10 atividades que seguem abaixo:

 

  1. Para quem você vai falar?

É imprescindível que você conheça o seu público. As preferências gerais, onde vive, de que se alimenta e como se reproduz? Então, é isso.

Saber seu comportamento, quais redes sociais ele acessa, onde trabalha, como consome conteúdo e que tipo de conteúdo esse cliente gosta de ver pois assim, fica mais fácil de atrair a pessoa por uma estratégia de afinidade – é aí onde você sai na frente de concorrentes desavisados.

Afinal, como você quer vender algo para alguém que você desconhece? Conhecer o seu público é estreitar a comunicação para a criar laços.

 

  1. Quem são os seus concorrentes?

A pesquisa de mercado é coisa séria. Saber como se comportam as empresas que atuam no mesmo segmento que você é importante para que você possa mensurar a partir da atividade alheia: o que está indo bem e o que não está?

São referências interessantes para serem analisadas, principalmente se o perfil da buyer persona deles for parecido com o perfil da sua, pois você consegue aprender muito com as estratégias, mesmo aquelas que não dão muito certo. Assim, você evita de cometer erros que já viu seus concorrentes fazerem e otimiza seu tempo para a criação de estratégias mais certeiras.

 

  1.   Planejar, planejar e planejar

Antes de sair escrevendo e produzindo conteúdo aleatório, o ideal é criar um plano. É uma espécie de cronograma de marketing de conteúdo, para você se basear no que foi e no que está sendo feito. Com o planejamento bem definido, você acompanha o desempenho não só da produção, mas também, do feedback de cada esforço colocado na rua.

E não há problema algum em realizar mudanças na estratégia durante a execução desse plano, pois se você está vendo que o retorno não está saindo como o esperado, ajustar e substituir são estratégias valiosíssimas para reverter um possível fracasso de comunicação. Quando se trata de ações digitais, essas alterações são mais fáceis de serem feitas e analisadas também.

 

  1. Entenda a jornada do seu cliente

Mapear o ciclo de venda é importante para que a produção do conteúdo seja adequada à cada fase em que o seu cliente se encontra. O seu cliente tem uma jornada de compra, ele é atraído para o famoso funil de vendas e em cada etapa desse funil, esse cliente possui uma necessidade de conteúdo diferente.

Não é indicado produzir um conteúdo genérico para atingir todo o seu público independentemente do seu momento na jornada de compra, ou etapa do funil de vendas. Entenda que cada etapa requer um tipo de conteúdo específico. Se você quer ter sucesso de conversão quando o seu cliente potencial chegar no fim do funil, estude mais as formas de abordá-lo em cada etapa do funil com a mensagem mais adequada possível.

Você reparou quantas vezes eu escrevi aqui: “cada etapa”, “cada etapa”? Pois é, era para ficar bem repetitivo mesmo, porque essa prática de segmentação de conteúdo é muito valiosa para obter sucesso na estratégia.

 

  1. Palavras-chave para conteúdo

Um dos super truques de marketing de conteúdo é saber quais são as palavras mais buscadas pelo seu público quando ele quer comprar um par de tênis ou uma bolsa, ou quando está procurando um brinquedinho para o seu pet.

Se você tem um e-commerce de luminárias, você precisa saber quais são as palavras-chave que seus clientes digitam nos mecanismos de busca, quando querem pesquisar preço de abajur. Mais do que isso, você precisa conhecer as dúvidas que seus potenciais clientes têm, ao iniciar uma pesquisa de compra.

Hoje em dia, no próprio Google, você consegue ver as palavras-chave no AdWords e também no Google Trends, que segundo post no blog da Rock Content, é uma ferramenta gratuita que permite a descoberta das principais tendências relacionadas a uma palavra-chave específica. Esse buscador do Google indica o que tem sido mais pesquisado de acordo com a localização e o período de tempo determinado pelo usuário.

Para saber mais sobre palavras-chave, é só clicar aqui, para conferir um post bem completo da Resultados Digitais. 

 

  1. Conteúdos diferentes para formatos diferentes

Para elevar a experiência de compra online do seu cliente e uma vez que você já conhece um pouco mais do seu comportamento, esteja o mais presente possível na vida dessa pessoa. Se puder, esteja em todas as formas de interatividade – app, e-mail, site, blog, redes sociais etc.

Texto aliado à imagem causa um ótimo impacto – se elaborados com coerência e qualidade.

Ainda na sua loja, lembre-se que vídeos de demonstração podem ajudar muito na melhoria da conversão. Segundo post da Econsultancy, isso aconteceu com seis e-commerces internacionais, que é o caso da Zappos, por exemplo, cujo aumento de conversão foi de 24% nos produtos com vídeos demonstrativos.

Portanto, quanto mais você entrega informação que o seu cliente busca, mais querido você se torna.

 

  1. Investir em mídia própria é uma boa

Se você quer conversar mais com o seu cliente, com textos, vídeos ou qualquer outro tipo de interação, é interessante que o seu e-commerce não se limite somente à loja online. Crie outros meios de comunicação além das redes sociais, como por exemplo, um blog.

Nas redes, as pessoas buscam conteúdos rápidos e em sua grande maioria, em um contexto de entretenimento. Quando o conteúdo está em um blog, a pessoa que acessa está em busca de algo mais completo, mais elaborado, de cunho educativo e informativo. Essa é uma estratégia de atração de clientes que pode funcionar muito bem para topo e meio de funil.

 

  1. Invente e reinvente-se

Postagens e textos criativos são premissas de um bom conteúdo. Mas, isso não é tudo. O cliente potencial quer se envolver com a sua mensagem, então dedique bastante atenção na produção do conteúdo de qualquer canal.

Desde os primeiros passos ao distribuir as informações na sua loja montando a sua ‘vitrine’, até a estratégia de atração de tráfego, campanhas institucionais, varejistas, pós venda etc. 

 

  1. Qualidade na entrega

Se você quer ser conhecido por uma loja que entrega produtos de qualidade então a sua comunicação deve possuir o mesmo nível de dedicação. Fotos com alta definição, imagens bem iluminadas, vídeos de alta resolução, textos claros, diretos, com concordância e sem erros ortográficos contribuem para a reputação da sua marca como um todo.

Não é só o que você comercializa que está em jogo.

O potencial cliente que ainda não conhece os seus produtos pode se encantar com a sua comunicação para realizar uma compra efetiva. Agora, se a mensagem deixar a desejar no quesito qualidade, a sua audiência pode estender essa falta de cuidado aos seus produtos também.

 

  1. Encontre a sua audiência

Promover seu conteúdo para que ele chegue ao seu público também é um passo vital para uma estratégia de marketing de conteúdo bem sucedida. De nada adianta arrumar a casa, criar vários conteúdos criativos, inovadores, conquistadores se ninguém souber da existência dos mesmos.

Pesquise a melhor forma em termos de custo X benefício para fazer essa divulgação e mãos à obra. O ideal é que isso aconteça de forma orgânica, mas podemos dar um empurrãozinho com os ‘impulsionamentos’ e campanhas direcionadas para que seu público tome conhecimento de tudo o que você está fazendo de conteúdo relevante.

 

Vantagens de ter um bom conteúdo

De acordo com a pesquisa do PayPal, o número de lojas virtuais no Brasil em 2020 ultrapassou a marca de 1,3 milhão. Já o E-commerce Quality Index (EQI) trouxe que 72% dos e-commerces brasileiros não apresentam informações adequadas sobre os produtos que vendem.

Se a sua loja possui um conteúdo completo e bem estruturado, concorda que você já está fora da estatística? E de uma forma bastante positiva, diga-se de passagem.

Então, entenda que um bom conteúdo interno é fundamental e que ações simples podem potencializar a experiência de compra online, como por exemplo, uma descrição mais detalhada, categorização de produtos, vídeos demonstrativos etc.

Além disso, entregar conteúdo fora da sua loja deve ser um passo estratégico positivo, porque se a sua base de informação que é a sua loja estiver mal feita, o resto provavelmente vai estar mal feito também.

Ao produzir um conteúdo, lembre-se de se questionar se ele é honesto e fácil de entender. Se é educativo ou informativo, se é um conteúdo excepcional. Analise se esse material vai envolver o seu público de forma positiva, sendo fora da curva, para gerar um bom engajamento.

Depois de tantas informações sobre conteúdo, que tal dar início à produção do seu ou analisar se o que já foi produzido está entregando o que você realmente quer transmitir? E fica a dica, também, de dar aquela conferida na sua vitrine virtual, para deixar tudo bem explicadinho para que seu cliente compre feliz e você saia na frente dos seus concorrentes. 

É só começar! 🙂

 

Karina Julio
Head de Inbound / Outbound Strategy da Wisely

Experimente Grátis por 14 dias, sem custos.

Otimize a performance de suas campanhas online e comece a gerar mais vendas ainda hoje.